Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos

Prmios e Destaques Acadmicos

Por Renata Ratton Assessora de Comunicação - Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos
Tese e artigo da Economia vencem prmio Haralambos Simeonidis, o mais prestigioso da rea
Desde 2003 (com exceo de 2014), pelo menos um aluno ou um professor do departamento foi vencedor

 

O Departamento de Economia foi agraciado, mais uma vez, com o prmio Haralambos Simeonidis para o melhor artigo e a melhor tese de doutorado. Concedido pela Anpec, trata-se do mais prestigioso prmio da rea.

A pesquisa que deu origem ao artigo FX Interventions in Brazil: a Synthetic Control Approach, de autoria do professor Marcio Garcia, junto ex-aluna de doutorado Laura Souza e ao economista Marcos Chamon, do FMI, da rea de Macroeconomia - Finanas Internacionais.

– O propsito foi verificar se um determinado tipo de interveno cambial tem a capacidade de mexer na taxa de cmbio, dvida recorrente em Economia porque h modelos tericos dizendo que pode ou no pode mexer, alm de estudos empricos com ambas as concluses. uma questo aberta em Macroeconomia – explica o professor Marcio Garcia. Segundo ele, se comparadas Medicina, as intervenes cambiais esterilizadas – o nome correto – so como um remdio que no se sabe se faz efeito ou no para uma doena.

 Professor Marcio Garcia  um dos autores do artigo vencedor, junto  ex-aluna de doutorado Laura Souza e ao economista Marcos Chamon, do FMI - foto: Renata Ratton / Vice-Reitoria para Assuntos Acadmicos 
Professor Marcio Garcia um dos autores do artigo vencedor, junto ex-aluna de doutorado Laura Souza e ao economista Marcos Chamon, do FMI - foto: Renata Ratton / Vice-Reitoria para Assuntos Acadmicos 

A modelagem descrita no artigo foi desenvolvida com base em um programa deflagrado pelo governo federal, em 2013, quando o ento presidente do Banco Central americano, Ben Bernanke, fez um discurso famoso, no dia 22 de maio, em que insinuou que as medidas excepcionais ora tomadas – compra de vrios ttulos para possibilitar a recuperao da economia americana, e consequentemente, da economia mundial – talvez no fossem mais necessrias.

“Apesar da linguagem extremamente contida que ele utilizou, a mensagem criou um alvoroo total nos mercados, e todas as moedas de pases emergentes comearam a depreciar, foi um rebulio nos mercados chamados de ativos de risco, dentre os quais o da nossa moeda”, conta Marcio. E continua:

– Ao saber do discurso, o Banco Central brasileiro comeou a realizar intervenes cambiais esterilizadas, mas o real continuava a depreciar. No dia 22 de agosto, ento, o BC anunciou que realizaria o seguinte programa: venderia meio bilho de dlares, de segunda a quinta, utilizando derivativos chamados swaps cambiais, e na sexta-feira faria um leilo de uma linha de crdito de US$1 bilho para os bancos. Com o anncio, imediatamente o real reverteu a tendncia de depreciao, observa.

Segundo o professor, aparentemente, esse programa foi eficaz, mas tambm poderia ter sido mera coincidncia entre a medida brasileira e o mercado internacional. Por isso, seria necessria a comparao com o contrafactual, ou seja, com o que teria acontecido com o real se o Brasil no tivesse intervindo? “Para isso, utilizamos uma tcnica economtrica bastante complexa chamada coorte sinttica: pegamos todos os outros pases de que tnhamos dados (no caso, economias emergentes) e construmos um Brasil sinttico, o Brasil sem a interveno do BC. Utilizamos, ainda, uma outra tcnica desenvolvida, por sinal, na dissertao vencedora desse mesmo prmio, pelo aluno Ricardo Masini”, esclarece.

O Brasil sinttico foi construdo em comparao com as amostras de pases emergentes, todos afetados pela depreciao cambial decorrente do discurso do presidente do Banco Central americano: foram utilizados dados da Austrlia, do Chile, da Colmbia, da ndia, do Peru, da Turquia, da Indonsia, da Coria, do Mxico, da Malsia, da Nova Zelndia, das Filipinas, da Polnia, da Rssia, da frica do Sul e da Tailndia.

O modelo Brasil sinttico foi validado por apresentar a diferena na taxa de cmbio muito similar encontrada em relao s moedas dos outros pases no momento anterior ao anncio. “Usamos dados de outros pases para construir a taxa de cmbio do Brasil. A diferena entre o que de fato ocorreu e o que o modelo do Brasil sinttico mostrou que teria ocorrido, sem a interveno, tinha que ser pequena, o que, de fato, aconteceu. Aps o anncio, entretanto, os comportamentos teriam que ser bem diferentes, pois a medida do Brasil no ocorreu nos outros pases (placebo). Fizemos o contrafactual para todos e constatamos que o cmbio brasileiro realmente apreciou com o anncio, o real se valorizou”, sublinha.  

De acordo com o economista, o resultado fez muito sucesso porque, normalmente, quando se trata de questes macroeconmicas, como a taxa de cmbio, h uma infinidade de variveis que as afetam, portanto sempre possvel pensar que algum fator no foi levado em conta:

– Nesse caso, temos um choque que afetou todo mundo porque a notcias dos Estados Unidos vm do centro do sistema, e, em seguida, encontramos um pas, que o Brasil, que se comporta diferentemente de todos os outros, portanto se acredita bastante que a ao do Banco Central do Brasil, naquele momento, fez a diferena. Isso se chama identificao economtrica, quando se acredita que o efeito realmente veio daquela medida.  Creio que o valor do artigo esteja em ter usado uma tcnica economtrica sofisticada, que no tinha sido usada nesse contexto – uma tcnica muito usada em Microeconomia Aplicada, mas no em Macroeconomia – e ter chegado a um resultado forte e convincente. Por isso, ele foi publicado na melhor revista de Economia Internacional, o Journal of International Economics, da Elsevier.

O professor destaca, ainda, que os resultados podero ser utilizados, por exemplo, para orientar o Banco Central sobre quando e como intervir nos mercados cambiais. “Um dos resultados do paper mostra que as extenses do programa anunciado naquele 22 de agosto no surtiram o efeito do anncio. Isso revela que o programa atende a um problema agudo, para intervenes pontuais em casos crticos, mas no serve para problemas crnicos da economia, quando o pas no vai bem”.

Tese - J a tese premiada Contributions to the Econometrics of Counterfactual Analysis, de autoria do ex-aluno de doutorado Ricardo Masini, sob a orientao do professor Marcelo Medeiros, consiste de trs artigos sobre estimao de cenrios contrafactuais, em situaes onde no h um grupo de controle perfeito.

 Professor Marcelo Medeiros orientou a tese vencedora: nova metodologia para clculo de contrafactuais - foto: arquivo pessoal
Professor Marcelo Medeiros orientou a tese vencedora: nova metodologia para clculo de contrafactuais - foto: arquivo pessoal

A tese prope um novo arcabouo terico em Econometria para o clculo de contrafacutais: "Em uma de suas aplicaes, por exemplo, so medidos os efeitos que a adoo da Nota Fiscal Paulista teve na evoluo da inflao de alimentos em So Paulo”, conta Marcelo.

O professor informa que a aplicao da metodologia ArCo (Artificial Counterfactual) poder se dar em diversas reas de Economia. "No caso usado, verificou-se que a adoo da nota havia aumentado a inflao para “alimentao fora de casa" em So Paulo”.

 

---------------------------------

Desde 2003 (com exceo de 2014), pelo menos um aluno ou um professor de Economia da PUC-Rio foi vencedor. Nesse perodo, seis teses de doutorado do Departamento foram agraciadas com o prmio. Essas teses concorrem com todas as teses de doutorado escritas por um brasileiro, independentemente da instituio em que foi defendida (no Brasil ou no exterior).



Publicada em: 07/12/2017


| Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento | | Prmios e Destaques Acadmicos | | Rankings | | Campanhas | | Sobre a VRAC |
Busca na VRAC: