Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos

Prêmios e Destaques Acadêmicos

Por Renata Ratton Assessora de Comunicação - Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos
Tese de doutorado do Instituto de Relações Internacionais, que aborda inclusão nas negociações de paz, vence Concurso de Dissertação e Tese da ABRI

Dissertação de mestrado sobre intervenções na saúde reprodutiva de mulheres recebe Menção Honrosa em sua categoria


Unveiling inclusion in peace negotiations through the concept of political representation: Women and the Havana Dialogues between the Colombian government and the FARC-EP - 2012-2016, tese de doutorado da aluna Isa Lima Mendes, do Instituto de Relações Internacionais (IRI), foi vencedora do 10º Concurso de Dissertação e Tese da Associação Brasileira de Relações Internacionais (ABRI). O prêmio foi anunciado na assembleia do 6º Seminário de Graduação e Pós-Graduação da ABRI, no dia 06 de outubro.

Orientada pela professora Monica Herz, a pesquisa aborda a questão da inclusão nas negociações de paz de um ângulo diferente do normalmente empregado pela literatura de Estudos sobre Paz e Conflitos (PCS), tema que vem recebendo cada vez mais atenção nas últimas décadas. Segundo Mendes, embora, por muito tempo, tenha sido vista apenas como uma fonte de perturbação no caminho de acordos políticos, a inclusão da sociedade está, lentamente, sendo aceita como uma "perturbação necessária" à construção de acordos legítimos e de uma paz duradoura:

– O desconforto que motiva esta investigação decorre da frequente despolitização e instrumentalização da inclusão no contexto da negociação e mediação da paz. A inclusão é, muitas vezes, tratada como uma entidade benigna que visa cultivar a legitimidade de um novo sistema político, enquanto sua natureza política inerente – as articulações políticas, as disputas e as exclusões que envolve – recebe pouca atenção. A literatura tende, portanto, a tratar tanto o processo de paz como o sistema político em negociação como um dado, neutralizando as disputas e exclusões que se renovam ou se criam pela reinvenção política envolvida em um processo de paz. Essa discussão não é, de forma alguma, dispensável se se quiser refletir sobre a construção da paz e a prevenção de conflitos em longo prazo, ou mesmo sobre a inclusão política em geral e a atual crise vivida pela democracia representativa – pondera a autora. No esforço de politizar essa discussão, a tese vencedora “disseca” a ideia de inclusão nos processos de paz, analisando-a pelas lentes conceituais da representação política:

– Ao contrário da tendência contemporânea de considerar a representação apenas o produto pontual de eleições periódicas, aqui o conceito recebe uma interpretação crítica e ampliada, considerada no contexto de seus dilemas atuais e de sua relação complexa com a participação política, particularmente à luz da teoria democrática feminista.

Além das eleições e da autorização formal, a pesquisa considera a representação política possível e presente em situações diferentes dos ambientes institucionalizados usuais, tais como as negociações de paz. De acordo com a autora, para “enfrentar esse desconforto”, uma dupla estratégia foi adotada: uma discussão teórica da literatura existente sobre inclusão – relida por meio de sua interpretação como questão de representação política – e uma observação empírica desse debate no contexto do caso colombiano, mais especificamente o papel das mulheres nos diálogos de Havana entre o governo e as FARC-EP (2012-2016). “Esta parte se baseia na documentação disponível (declarações e relatórios oficiais, acordos de paz, material da mídia, relatórios da sociedade civil) e em um trabalho de campo realizado em Bogotá em novembro de 2018”.

Além da conquista da primeira colocação da tese no concurso, a dissertação de mestrado Caring about women and the role of quantification in family planning: a critical analysis of the FP2020 programme, de autoria da aluna  Beatriz Nazareth de Souza Teixeira, recebeu Menção Honrosa em sua categoria.

Orientado pela professora Isabel Rocha de Siqueira, o trabalho teve como propósito investigar a maior intervenção na saúde reprodutiva de mulheres (entre outras advindas de organizações internacionais, agências de desenvolvimento e governos), no tocante aos recursos financeiros e de metas estabelecidas: a Family Planning 2020. De acordo com a autora, à medida que uma população crescente passa a ser enquadrada como um problema global, a fertilidade das mulheres se torna uma ameaça e seus corpos espaços para essas intervenções:

– Mais especificamente, a pesquisa focou no papel desempenhado por dados quantitativos para fundamentar intervenções na saúde reprodutiva de milhões de mulheres. A hipótese da dissertação foi que esses dados desempenham um papel fundamental no posicionamento das políticas de planejamento familiar como objetivas e baseadas em evidências, e não como fundadas em fatores raciais. E que a adesão a uma ética do cuidado pode orientar tais políticas de maneira a evitar a instrumentalização da fertilidade e da saúde de mulheres para enfrentar questões atribuídas à 'superpopulação'. A interseção entre população, conflito, mudanças climáticas e migração é o ponto central dos debates contemporâneos sobre controle populacional e reacende iniciativas cujo alvo são os corpos de mulheres e meninas, majoritariamente não brancas e do Sul Global, esclarece a autora.




Publicada em: 20/10/2022