Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos

Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento

Por Renata Ratton Assessora de Comunicação - Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos
Carla Göbel, da Física, é primeira brasileira a integrar a Coordenação de Física de um dos principais experimentos do CERN, na Suíça, que sedia o maior acelerador de partículas do mundo

Coordenação será responsável pela qualidade dos resultados de física de uma das quatro grandes colaborações do Centro, o experimentoLHCb, composto por mais de 1500 membros


Pela primeira vez na história do CERN (Centre Européen pour la Recherche Nucléaire – Centro Europeu para a Pesquisa Nuclear), um pesquisador brasileiro, ou melhor, brasileira, assumirá a posição de Coordenadora  Adjunta de Física (Deputy Physics Coordinator), no experimento LHCb, um dos quatro grandes do CERN. Ela é Carla Göbel Burlamaqui de Mello, professora associada do Departamento de Física, que atua em projetos do centro europeu desde 2006.

Fundado em 1954, o CERN foi um dos primeiros empreendimentos conjuntos da Europa e está localizado na fronteira entre a França e a Suíça, próximo a Genebra. Dispõe do maior acelerador de partículas do mundo, com 27 km de extensão, o Large Hadron Collider (LHC), utilizado para estudar as bases constituintes da matéria – as partículas fundamentais. A colaboração LHCb é composta por cerca de 1500 membros de 89 instituições em 19 países, e desde 2010 já publicou 615 artigos, com mais de 47 mil citações.

Göbel foi convidada para ser  Coordenadora Adjunta de Física do LHCb pela recém-eleita Coordenadora de Física Yasmine Amhis (IJC Lab-Paris) e sua nomeação foi ratificada pelo Conselho da Colaboração LHCb no último dia 10. Durante o mandato de dois anos, que será iniciado em agosto, as duas pesquisadoras responderão diretamente ao porta-voz da colaboração e serão responsáveis pela qualidade dos resultados de física que serão submetidos à publicação em jornais científicos. Elas também indicarão os especialistas que coordenam os diversos grupos de trabalho em física, definirão as equipes de revisão interna das análises de dados e aprovação dos resultados, bem como supervisionarão todas as etapas de revisão do artigo final até a submissão aos jornais científicos.

– O LHCb estuda os resultados da colisão próton-próton principalmente em processos que envolvem partículas que possuem os quarks beauty e charm. Após o Big Bang, o universo era constituído de todas as partículas fundamentais – e suas antipartículas. Com a expansão e esfriamento do universo, as partículas mais pesadas foram se desintegrando, mas o universo carrega essa história. Em particular hoje o universo é feito fundamentalmente de matéria – um pequeno excesso de matéria sobre antimatéria no universo primordial é responsável por todas as estruturas que conhecemos. Transformando energia cinética em massa, o acelerador nos traz a possibilidade de reproduzir certas partículas que vivem muito pouco tempo, mas que são fundamentais para compreender como o Universo evoluiu desde seu início e projetar seu futuro, explica a pesquisadora. Na PUC-Rio, seis alunos de pós-graduação estão desenvolvendo dissertações de mestrado e tese de doutorado em temas ligados ao experimento do CERN.

Reconhecendo como “o maior desafio de sua carreira acadêmica até o momento”, Göbel se diz surpresa e honrada com a nomeação e a representatividade, lembrando que existem outros pesquisadores brasileiros atuando em projetos de grande relevância  no CERN. “Sinto o peso da responsabilidade, mas também estou muito entusiasmada com o que há por vir”.


Sobre a professora Carla Göbel Burlamaqui de Mello:

Formada em Química e com mestrado em Física pela PUC-Rio, Göbel fez o doutorado no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), na área de Física Experimental de Altas Energias, sendo parte dele doutorado-sanduíche no Fermi National Accelerator Laboratory (Fermilab, EUA). É pesquisadora nível 1C do CNPq e Cientista do Nosso Estado pela FAPERJ. Suas principais linhas de pesquisa estão relacionadas ao estudo de decaimentos e diferenças partícula-antipartícula envolvendo mésons contendo os quarks charm e beauty no experimento LHCb.




Publicada em: 15/06/2022