Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos

Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento

Por Renata Ratton Assessora de Comunicação - Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos
Favela Inteligente, da Faperj, contempla projetos da Universidade em duas faixas

Na faixa A predominam projetos de Artes&Design; a faixa B contempla projeto de Ciências Sociais


Oito projetos da Universidade foram aprovados no edital Faperj do Programa Favela Inteligente em Apoio às Bases para o Parque de Inovação Social e Sustentável na Rocinha na Faixa A. Na Faixa B, a PUC-Rio detém um dos dois projetos aprovados. São eles:


FAIXA A:

Rocinha Sustentável: Transferência de Técnicas de Reciclagem e Design em laboratórios Makers, de Davidson da Silva Coutinho

Fala pra Gente! Comunicadores Digitais da Rocinha, de Gustavo Robichez de Carvalho

Jovens do presente, antecipando futuros desejáveis: Design de Jogos, Design de Mídias Audiovisuais Comunitárias e Inteligência Artificial na Rocinha, de Jackeline Lima Fabiarz

Óleo Ponto - Transformando resíduo sólido em produto social, de Marcelo Queiroz dos Santos

Mentor Rocinha - plataforma de recomendação de conteúdos comportamentais, empreendedorismo e cultura da Favela da Rocinha, de Marcilene Scantamburlo Fonseca

Rocinha, foco na cultura: acervo participativo dos fazedores locais, de Nilton Gamba Junior

JUMPP: Desenvolvendo a Incubadora de Impacto Social da Rocinha, de Priscila Ricci

Biblioteca Virtual e Percurso Histórico por imagens: História e Memória da Rocinha, de Rafael Soares Gonçalves


FAIXA B:

UNIR - Centro de pesquisas e articulação de conhecimentos PUC- Rocinha, de Marcelo Tadeu Baumann  Burgos


Para os fins do edital, favela inteligente é o território tido como de alta vulnerabilidade que, no entanto, que provê efetividade e potência ascendente em compreender problemas estruturantes locais e encontrar soluções criativas, inovativas, com base em C,T&I e, muitas vezes, em articulação com/de organizações posicionadas como negócios de impacto socioambiental positivo. O conceito é de territórios cujos atores identificam, capturam, disponibilizam e lançam mão, de forma extensiva, da informação e do conhecimento em favor do bem-estar para a sociedade.

Iniciativa inédita dentre as FAPs (fundações de amparo à pesquisa) do País, o programa visa apoiar iniciativas de instituições, com ou sem fins de lucro, em ações que promovam dinamismo econômico do território da Rocinha com base em ciência, tecnologia e inovação em segmentos que sejam vetores: da preservação dos recursos naturais; geração de energia verde; educação básica e superior, inclusive educação profissional, incluindo atributos de empregabilidade; atenção primária em saúde, inclusive estratégias de saúde da família e de segurança e soberania alimentar; geração de trabalho, riqueza, emprego e renda; arte e cultura; esporte e lazer; inclusão digital e inovação tecnológica, inclusive a geração de empreendimentos inovadores locais e de qualidade de vida para a população local; saneamento básico; prevenção a catástrofes; segurança pública e prevenção a todos os tipos de violência, inclusive combate à violência contra as mulheres e serviço de atendimento às mulheres em situação de violência; combate a todas as formas de discriminação; mobilidade e acessibilidade; assistência social e direitos humanos.




Publicada em: 20/12/2021