Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos

Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento

Por Renata Ratton Assessora de Comunicação - Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos
PUC-Rio realiza terceiro webinarPilotos IoT, em parceria com BNDES, que trouxe inovaes nas reas de infraestrutura de comunicaes, energia e medicina fetal

As empresas American Tower e Engie e os pesquisadores Heron Werner, do Dasa, e Jorge Lopes, da PUC-Rio foram os palestrantes desta edio


A terceira edio do webinar Pilotos IoT, em parceria com o BNDES, trouxe, mais uma vez, empresas parceiras e pesquisadores da Universidade abordando tecnologias ligadas ao agronegcio e telemedicina. O projeto Pilotos IoT, coordenado pela PUC-Rio, financiado pelo BNDES, Biomtech, Engie, Nokia e Vikan. Conta com os parceiros que aportam tecnologia nas reas de Agronegcios e Sade: Alis, American Tower, Biomtech, BrasilSat, Briskcom, CBPF, Datora Arqia, Embrapa, Engie, Hispamar, Inmetro, Kore, Laura, Mareste, Method’s, Metos Brasil, Provide, Suno, Vitai, Tim, TSM.

A abertura ficou por conta de Rafael Nasser, do ECOA PUC-Rio, seguida da primeira apresentao do encontro, realizada por Leandro Nunes, da American Tower. IoT na Real mostrouoportunidades para o agronegcio e transformaes de redes e pessoas atravs da Internet das Coisas.

A empresa lder global em compartilhamento de infraestrutura de comunicaes (torres, estruturas no topo dos prdios, sistemas de antenas distribudas para ambientes indoor e, mais recentemente, infraestrutura de rede neutra de fibra utilizando tecnologia LoRaWAN) e est presente em 22 pases (180 mil sites no mundo), viabilizando a conectividade. A rede neutra viabiliza que diversos parceiros e clientes utilizem a mesma infraestrutura, com uso sustentvel de recursos. uma rede compartilhada entre diversos verticais.

– De forma geral, o one size fits all no costuma servir para os casos de redes de IoT, casos de usos distintos tm necessidades diferentes e as tecnologias se complementam. Temos vrias formas de olhar para as tecnologias, e a internet das coisas traz alguns desafios bem interessantes. Sempre vamos falar de grandes volumes de dispositivos no campo, e isso traz uma necessidade de complementaridade de rede. Neste sentido, a American Tower verificou que, no Brasil, ainda havia muitas oportunidades para o conceito de LPWAN (Low Power Wide Area Network), que fornece baixo consumo de energia e grande alcance de cobertura pelos dispositivos – comentou o gerente de IoT.

Leandro explicou que, debaixo do guarda-chuva LPWAN, existe uma srie de tecnologias: a tecnologia LoRaWAN uma das que despontam no mercado global, permitindo, por exemplo, que um dispositivo de campo fique entre cinco e dez anos sem a necessidade de troca de bateria, ou a mobilidade dos dispositivos sem problemas; ou ainda a flexibilidade de seu protocolo que permite aos dispositivos, alm de trocar mensagens com a rede, falarem diretamente com outros sem a necessidade de acessar a internet. “Utilizando uma aplicao, possvel enviar mensagens de comando para outros dispositivos, em vez de ter que se dirigir ao local em que algum reparo necessite ser feito. Adicionalmente, a tecnologia muito segura, prioriza o baixo custo em toda a cadeia, e conta com uma alta imunidade a rudo”, complementou.

A empresa Engie, referncia em energia no mundo, foi a segunda a se apresentar no webinar, trazendo o tema Plataforma de Convergncia e-Deskie.

De acordo com Viviana Medellin, a Engie est comprometida em acelerar a transio energtica para a economia de carbono, por meio da reduo do consumo de energia e pela busca de solues mais sustentveis. No Brasil, a maior empresa geradora de energia, mas, alm da gerao, atua na parte de comercializao e transmisso de energia, transporte de gs e na criao de solues energticas.

– Dentro desta ltima, contamos com a rea de solues disruptivas, encarregada de criar aplicaes digitais dentro de projetos de inovao, tanto para empresas do grupo quanto para parceiros. Nosso driver contempla trs pilares principais: mobility, big data e IA e IoT. Em solues disruptivas, um dos nossos produtos principais a plataforma de convergncia e-Deskie, uma plataforma para a construo, convergncia (mashup) e utilizao simples, pelo usurio final, dos mais variados servios digitais desenvolvidos pela Engie, seus parceiros e suas unidades. Um portal de servios unificados Web e Mobile – explicou.

O repositrio centralizado permite gerar mdulos para diferentes linhas de negcio atendendo a clientes internos e externos. Yuri Gomes, tambm da Engie, abordou a arquitetura de IoT e de outras tecnologias agregadas por trs das aplicaes prticas da e-Deskie:

– Trs grandes tecnologias so utilizadas nesta grande plataforma de convergncia: IoT, BI e IA e API. Quando precisamos realizar automaes como as de prdios ou  pontes, em aeroportos, utilizamos solues de IoT para a comunicao e, s vezes, um pouco de API. Todas as informaes so trazidas em tempo real e, nelas, se aplicam processos de algoritmos inteligentes – em tempo real ou de forma agendada – em cima dos dados, entregando informaes para o usurio final via API, a partir de uma aplicao mobile ou web. Tudo consumido via API, atravs da de transformao de dados em informaes, explicou, lembrando que o usurio ainda pode personalizar suas interfaces visuais e painis.

Tecnologias para medicina fetal – Na rea da sade, a apresentao ficou a cargo do Dr. Heron Werner, do grupo Dasa Diagnstico e de seu parceiro, na PUC-Rio, professor Jorge Lopes, coordenador do laboratrio NEXT. Em sua apresentao, o Dr. Heron falou sobre novas tecnologias de imagem em medicina fetal e o professor Jorge Lopes abordou a importncia da multidisciplinaridade e da inovao na rea mdica.

Heron Werner trabalha h cerca de 30 anos com imagem fetal, tendo presenciado a grande evoluo da ultrassonografia e da ressonncia magntica nessa visualizao.

– Temos a possibilidade de reconstruir essas imagens e materializ-las em 3D; na rea de medicina fetal, tambm podemos realizar navegaes virtuais dentro dessas estruturas 3D. O sonho dos mdicos ter a melhor imagem possvel porque ela os auxilia nos diagnsticos. A partir do momento em que as tecnologias de impresso 3D e de reconstruo de imagem propiciaram a visualizao intratero e do feto, de forma mais ntida, isso mudou completamente a maneira de conduzir a gravidez, observou. Segundo Heron, a ultrassonografia teve um impulso muito grande com a incorporao da tecnologia 3D e, depois, com a tecnologia de impresso 3D.

– Hoje, possvel ver o feto e sua movimentao em tempo real. Alm disso, essas tecnologias tiveram um impacto, nesses ltimos anos, porque a imagem pode ser transferida da tela do aparelho de ultrassom para outros dispositivos, tablet, celular, o que facilita, cada vez mais, a discusso interdisciplinar atravs do compartilhamento e de discusses virtuais. Avanamos muito na avaliao morfolgica dos bebs, e de forma muito precoce. possvel analisar muito bem a anatomia do feto j no primeiro trimestre de gestao, no apenas gerando os volumes, mas navegando dentro deles. Para tanto, podemos utilizar tambm a RM, que traz uma informao interessante sobre os tratos nervosos, esclareceu.

Heron destacou ainda a importncia das tecnologias para a avaliao de cirurgias intrauterinas, bem como a possibilidade de juntar imagens da ultrassonografia e da ressonncia, melhorando a imagem final, inclusive para anlise da gesto gemelar, com todas as suas especificidades e riscos, como o caso de bebs siameses.

O professor Jorge Lopes, de Artes&Design, encerrou as apresentaes do webinar ressaltando a importncia da multidisciplinaridade em pesquisa e dos mecanismos para se estabelecer uma comunicao eficiente entre as diferentes reas:

– Estamos, por exemplo, percorrendo um caminho novo por meio de um aluno de doutorado do DAD cujo trabalho lida com bioimpresso 3D. Ainda tudo muito inicial, mas estamos aprendendo muito com um mdico de So Paulo, conseguimos adquirir uma 3D Bioprinter... uma nova trajetria com a PUC e a equipe do Dasa. Tambm estamos trabalhando conceitos iniciais na rea mdica usando inteligncia artificial, em parceria com o Instituto de Matemtica Pura e Aplicada (IMPA). Vamos sempre procurar os especialistas e fazer essa abertura interdisciplinar. Para um projeto Capes, adquirimos tecnologia de impresso de materiais flexveis, com alta resoluo, importante para imprimir a estrutura de um corao. uma nova forma de representar e entregar material para uma equipe mdica. Daqui a pouco, vamos conseguir entregar materiais biolgicos. A interdisciplinaridade no ter medo de perguntar, de errar. acessar formas novas de pensar e buscar caminhos para impulsionar o pas e torn-lo cada vez menos dependente de tecnologias externas, finalizou.




Publicada em: 08/04/2021