Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos

Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento

Por Renata Ratton Assessora de Comunicação - Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos
Qumica da PUC-Rio contribui com desenvolvimento de tecido antiviral para mscaras de proteo Covid-19

Pesquisador ucraniano responsvel por caracterizao de materiais e Central Analtica pelo processo de certificao do produto: ideia disponibilizar tecnologia barata para produo em escala industrial

Amostras de suspenses das nanopartculas de grafeno na gua: esquerda, gua; no centro, nanopartculas pequenas, e direita, partculas maiores - foto: divulgao


O professor Volodymyr  Zaitsev, do Departamento de Qumica, est trabalhado na caracterizao de nanopartculas de um tecido para mscaras que pode neutralizar a ao do coronavrus. O projeto Tecidos Hidrofbicos e Ativos Ppara Substituio do TNT Hospitalar  fruto de uma parceria do departamento com o Inmetro e a Coppe/UFRJ, com o financiamento da Faperj.

Segundo Zaitsev, o tecido atua com um poderoso filtro, a partir de uma composio hbrida: o recobrimento altamente hidrofbico, que evita a penetrao de micropartculas de gua contaminadas pelo vrus, e a impregnao de nanopartculas antivirais ativas de xidos metlicos e carbono. Os recursos associados formam a barreira que impede a penetrao do coronavrus e o inativam, resultando em uma mscara mais segura. O xido de zinco e o grafeno, obtido a partir do grafite, so materiais de baixo custo, encontrados em abundncia no Brasil.

Desenvolvido e em produo no Laboratrio de Engenharia de Superfcies da Coppe/UFRJ, sob a coordenao da professora Renata Simo, o material apresenta outras vantagens como ser biodegradvel e reduzir apenas 15 % da respirabilidade, de forma similar s mscaras de TNT usadas por profissionais de sade. O recobrimento est sendo testado tambm em papel absorvente para a produo de mscaras descartveis, com durao de cinco horas em mdia, ou seja, o dobro do tempo recomendado para as mscaras descartveis disponveis no mercado.

Os testes para a caracterizao e constatao da eficcia das nanopartculas esto sendo realizados no laboratrio de microscopia eletrnica do Inmetro e resultados so esperados ainda para 2020. “Caso a eficcia seja comprovada, o pas poder ter acesso a uma tecnologia que proporcionar mais segurana e risco reduzido de contaminao, inclusive em ambiente hospitalar, e a um custo-benefcio acessvel sociedade”, comentou Carlos Achete, especialista em Metrologia de Materiais do Inmetro e coordenador do projeto.

De acordo com Renata Simo, a unio de competncias de cada instituio o ponto forte do projeto. “A inteno produzir at 500 mscaras descartveis por semana, fabricadas a partir de diferentes materiais, como papel, algodo e polister, que apresentem alta durabilidade, de at trs horas de uso, sendo resistente a inmeras lavagens", afirma.

O processo de testes e sua verificao, visando certificao do produto, esto sob a responsabilidade da coordenadora da Central Analtica do Departamento de Qumica, professora Gisele Birman Tonietto.  Para ela, importante atender s demandas da sociedade, com toda expertise que a universidade tem.

– Em um momento de urgncia, poder viabilizar um conhecimento acadmico em prol dos profissionais de sade s reafirma o valor que deve ser dado cincia e pesquisa no Brasil, sublinha a coordenadora.




Publicada em: 02/09/2020