Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos

Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento

Por Renata Ratton Assessora de Comunicação - Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos
Pelo suporte e a inclusão
Rede de Apoio ao Estudante (RAE): resultados de sucesso e projetos de ampliação e pesquisa

 

Integrantes dos cinco núcleos da RAE As equipes dos cinco núcleos da RAE encontram-se, periodicamente, para reuniões de atualização. A equipe no final do ano de 2017: na fileira de trás, a partir esquerda: Leila Vilela (SOU-CTC) ; Renata Fraga (SOU-CTC); Lena Hirsch (SOU-CTC/NOAP); Renata Mattos (NAIPD); Bebeth Estellita (NOAP); Marângela Monteiro (SPA/NOAP); Zena Eisenberg (NOAP); Elisa Almeida (NOAP) ; Monica Cernigoi (NOAP); Lui​z​a ​Rodrigues​ (NOAP); Júlia (NOAP); ​Dayana Ximenes (SOU-CTC); Deborah Sanches (SOU-CTC); Manuela de Almeida (SPA); Erica Rodrigues (NOAP); Maria Rita Simões (NOAP), Maria Cristina Góes (NOAP); Marina Vilela (NOAP), ​Mariana Veloso (NOAP). crédito: Equipe RAE

A Rede de Apoio ao Estudante, RAE, que completa três anos em 2018, nasceu por iniciativa da coordenadora central de graduação da Vice-Reitoria Acadêmica, professora Daniela Vargas, e já conta com histórias de sucesso no trabalho de interação entre cinco núcleos: Núcleo de Apoio e Inclusão da Pessoa com Deficiência (NAIPD), o Núcleo de Orientação e Atendimento Psicopedagógico (NOAP), o Serviço Comunitário de Orientação Psicológica (PSICOM), o Serviço de Orientação ao Universitário do CTC (SOU-CTC) e o Serviço de Psicologia Aplicada (SPA).

A RAE tem o objetivo de unificar os serviços de apoio aos estudantes da Universidade que, até então, funcionavam de forma paralela, com pouca comunicação e esforço conjunto. Busca uma ação mais coesa em torno da qualidade da vida do universitário, em questões que tocam desde o aspecto acadêmico - dificuldades com os estudos, leitura e escrita, organização de grade - até os aspectos psicológicos - déficit de atenção, ansiedade - e as necessidades especiais.

– Como não era possível realizar a união entre esses cinco núcleos no espaço físico, isso foi feito no espaço virtual, com a criação de site, de sistema unificado para gerenciar os atendimentos e encaminhamentos de núcleo para núcleo, além da realização de reuniões periódicas para atualizar a parceria, esclarece a professora Zena Eisenberg, coordenadora do NOAP.

Para que a troca de informações fosse mais eficiente entre os diferentes núcleos envolvidos, foi criado junto ao SGU um sistema de cadastro de alunos onde é possível compartilhar as informações e os atendimentos. “De uma forma geral, questões relacionadas à psicopedagogia, a problemas com organização, leitura e escrita ou orientação profissional são tratadas no NOAP; necessidades especiais de diversos tipos são acompanhadas pelo NAIPD; o PSICOM trata de questões psicológicas mais agudas, encaminhando-as, em alguns casos, ao SPA; o SOU-CTC se dedica especificamente aos alunos do Centro Técnico Científico, acrescenta Zena.

Ao atender o aluno, o profissional de cada núcleo tem acesso a seus dados e consegue visualizar por que núcleo já foi atendido, caso tenha sido, as informações relevantes para o atendimento, dados do histórico, nivelamento em português, entre outras informações relevantes.

Em entrevista à Assessoria de Comunicação da Vice-Reitoria Acadêmica, as professoras Zena Eisenberg, do NOAP, Leila Vilela, do SOU-CTC, Renata Mattos, do NAIPD, e as psicólogas Roberta Magacho e Ana Carolina Gomes, do PSICOM, falam sobre as conquistas da RAE no último ano e os desafios a vencer.


Quais foram as principais conquistas da rede nesse período de trabalho conjunto?

Zena Eisenberg, pelo NOAP – Neste período, a RAE se consolidou e também foi concluído o sistema integrado, em que vários alunos já realizam agendamentos; também contamos com esquema de divulgação envolvendo e-mail marketing, folders, cartazes e anúncios no informativo PUC Urgente. Há dois trabalhos caminhando em paralelo: divulgar a rede entre os alunos e entre os professores, coordenadores e diretores, capazes de encaminhar os alunos para a RAE. Os professores também estão demandando, cada vez mais, o apoio da rede frente aos novos desafios.

Leila Vilela, pelo SOU-CTC - A RAE possibilitou grandes conquistas para nós, profissionais, uma vez que o trabalho em equipe de diferentes áreas de atuação proporcionou uma rica troca de experiências e conhecimento. As reuniões aproximaram, cada vez mais, os membros dos diferentes núcleos da rede, permitindo um melhor atendimento aos nossos alunos.

Roberta e Ana Carolina, pelo PSICOM - Em se tratando do PSICOM, destacamos que a RAE ampliou a divulgação do serviço entre os alunos.

Renata Mattos, pelo NAIPD - A criação da rede gerou uma aproximação mais efetiva entre os núcleos, que já trabalhavam, pontualmente, em conjunto, fomentando a troca de ideias entre os profissionais, a possibilidade de diálogo mais frequente para a construção de objetivos comuns e a definição de uma atuação conjunta, assim como os encaminhamentos.

Estar junto para atender os alunos da melhor forma possível é de interesse de todos nós e, para isso, foi preciso ouvir as diferenças, se posicionar com as singularidades e reconhecimento do trabalho que já vinha sendo feito e também abrir mão de sistemáticas conhecidas, como ocorreu em relação ao novo sistema de cadastramento dos atendimentos. Os núcleos já tinham suas práticas, sua sistemática, e estar juntos foi uma escolha para fortalecer o trabalho de atendimento dos alunos.


Poderiam citar exemplos de sucesso da parceria?

Zena – Posso citar o caso de uma pessoa que foi atendida pelo NAIPD, encaminhada para o NOAP, e lá atendida por um bom período pela equipe de Psicopedagogia e, em seguida, pela de Leitura e Escrita. Passou por vários âmbitos na rede. Acontece muito de encaminharmos dentro do próprio NOAP, pois temos três equipes diferentes.

Leila - Tivemos alguns casos em que alunos do SOU foram encaminhados para o atendimento psicopedagógico no NOAP, e observamos que estes alunos tiveram uma sensível melhora na questão organizacional e na sua autoestima, questões fundamentais para um bom desempenho acadêmico.

Para aqueles que estavam em dúvida da sua escolha de curso, o que ocorre com frequência com alunos do curso de Engenharia, encaminhamos para a Orientação Profissional, e alguns destes alunos buscaram uma nova trajetória acadêmica, com mais prazer e segurança.

O mesmo podemos falar do trabalho em conjunto com o PSICOM, que ajuda o aluno na busca de um equilíbrio emocional, fator fundamental para um desempenho acadêmico com mais tranquilidade. Já o trabalho em conjunto com o NAIPD tem sido de extrema relevância no auxílio dos alunos com necessidades especiais.

Acreditamos que o trabalho em equipe beneficia positivamente os nossos alunos, pois permite que eles sejam atendidos nos seus diferentes aspectos.

Ana Carolina e Roberta – Muito do sucesso está também em pensar em conjunto ações para lidar com casos emergenciais.

Renata - Vou citar dois exemplos diferentes. Um aluno que me procurou, no NAIPD, recomendado por uma professora que já conhecia nosso trabalho; quando o recebi, ficou claro que não se tratava de um aluno com algum tipo de deficiência e também que não precisava de nenhum recurso, havia uma situação clara de orientação em relação aos estudos e à forma de aprendizado. A professora havia sugerido o NAIPD porque conhecia esse caminho. Recebi o aluno e o encaminhei para o NOAP.

Posso citar como outro exemplo uma aluna que possui deficiência auditiva e tem sido acompanhada pelo NAIPD desde o início do curso. Em dado momento, ela me procurou relatando mudanças na sua vida pessoal que estavam comprometendo seus estudos e falou de dificuldade em uma determinada disciplina. Sugeri, então, que procurasse o PSICOM e o NOAP. Fiz o encaminhamento e ela esteve nesses núcleos. Eu e a equipe do NOAP passamos a trocar informações para melhor atendê-la e chegamos a promover um encontro conjunto com a aluna.


E o que precisa ser aprimorado e quais os projetos para o próximo ano?

Zena – Acredito que se deva consolidar ainda mais a interação entre os núcleos e ampliar o apoio aos professores. É importante lembrar que tanto o NOAP como o SPA têm como proposta fomentar pesquisa e serem espaços de formação para alunos de Psicologia, Pedagogia, Letras e de outras áreas.

Ana Carolina e Roberta – A nosso ver, a ampliação das parcerias de serviços de apoio, além de pensar em um conjunto ações para lidar com casos emergenciais.

Leila - Achamos que será de fundamental importância aumentar o número de profissionais em todos os núcleos da rede. Com relação a projetos, o SOU-CTC pretende começar a trabalhar com grupos com propostas orientadas. Estes encontros terão como objetivo ajudar um maior número de alunos não somente nas suas questões acadêmicas: raciocínio lógico, interpretação de texto, mas também nas questões relacionais que se apresentarem. Também temos a intenção de repetir o Minicurso de Meditação, oferecido este período, exclusivamente para os alunos do CTC.

Renata - O sistema de registro e compartilhamento de informações foi montado, está sendo experimentado e sofrendo ajustes para que sejam atendidas as demandas específicas de cada núcleo. O NAIPD, por exemplo, tem uma sistemática de troca com alunos ativa, ou seja, nós buscamos os alunos para apresentar o núcleo, confirmar as informações declaradas e definir recursos para garantir a igualdade de oportunidades. Estou certa de que as afinações serão sempre necessárias e que as possibilidades de ampliar nossa atuação aumentarão com os núcleos operando juntos.


» Para saber mais sobre a RAE e agendar um atendimento, acesse:
   http://www.puc-rio.br/sobrepuc/admin/vrac/rae/



Publicada em: 12/01/2018


| Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento | | Prêmios e Destaques Acadêmicos | | Rankings | | Campanhas | | Sobre a VRAC |
Busca na VRAC: