Pular para o conteúdo da página
Brasão da PUC-Rio

Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos

Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento

Por Renata Ratton Assessora de Comunicação - Vice-Reitoria para Assuntos Acadêmicos
Projetos da Engenharia Elétrica, nas áreas de óleo e gás e de sistematização de dados em saúde, são aprovados em editais da Faperj

Objetivos são atingir maturidade tecnológica em educação e reduzir desigualdades regionais em saúde


O projeto Centro de Inteligência Artificial do Estado do Rio de Janeiro Aplicado ao Setor de Óleo e Gás (CIA-Rio), coordenado pelaprofessora Marley Vellasco, da Engenharia Elétrica, foi aprovado e receberá recursos do programa Apoio a Redes Temáticas de Inteligência Artificial, da Faperj. O resultado foi divulgado no dia 08 de abril. A pesquisadora também foi pré-selecionada em edital da mesma agência, a saber, Inovação para Sistematização de Dados em Saúde no Estado do Rio de Janeiro, com o projeto Otimização de Atendimento de Pacientes em Procedimentos Médicos Eletivos com Avaliação de investimentos em Recursos Humanos e Materiais.

Segundo a fundação, o programa de IA tem o objetivo de fomentar a realização de projetos de pesquisa aplicada centrados em Inteligência Artificial, buscando articular grupos de pesquisa e empresas em rede com o intuito de avançar no nível de maturidade tecnológica dos projetos, possibilitando a introdução de soluções e tecnologias inovadoras no mercado capazes de atender as demandas sociais e econômicas do Estado do Rio de Janeiro. A ideia é transformar o estado em um centro de excelência e referência em inovação frente aos desafios da revolução digital. De acordo os gestores, a pandemia está precipitando uma verdadeira revolução tecnológica nos setores de saúde e de educação, que dependerão cada vez mais de tecnologias como realidade virtual, big data e Inteligência Artificial para se adaptar às novas demandas impostas pela necessidade de distanciamento social. Com o avanço do trabalho remoto, as cidades também sofrerão grandes transformações, tornando-se mais descentralizadas e “inteligentes”. Por fim, ressaltam a urgência trazida pelas mudanças climáticas que acelera a tendência de transição energética e, assim, força a diminuição do impacto ambiental de setores tradicionalmente poluentes, como a cadeia de Petróleo e Gás Já o programa da área de saúde busca fortalecer a parceria da fundação com o Governo Federal e tem o objetivo de reduzir as desigualdades regionais na área da saúde. (Faperj).




Publicada em: 15/04/2021